segunda-feira, novembro 17, 2008

CRÔNICA DE AMOR POR ELA



Imagem: Falling in love, de Angelica.

CHEGADA

Vieste na hora exata / Com ares de festa e luas de prata / Vieste com encantos, vieste / Com beijos silvestres colhidos pra mim / Vieste com a natureza / Com as mãos camponesas plantadas em mim / (...) Vieste me dando alento / Me olhando por dentro, velando por mim / Vieste de olhos fechados / Num dia marcado sagrado pra mim / Vieste com a cara e a coragem / Com malas, viagens, pra dentro de mim, meu amor” (Ivan Lins/Vitor Martins, Vieste).

Tens no olhar, morena, laços, ai! (...) sou fraco quando te vejo, teus olhos me roubam a vida!” (Cantiga de domínio popular recolhida por Tião Carvalho, Páginas serrano-catarinenses).

Luiz Alberto Machado

Ela vem nua e linda com os olhos que roubam a minha vida.

Nua e linda ela vem e veio como quem havia de alcançar a última esperança perdida.

E eu a tomei tão contida como quem chega de um fiapo de luz e se faz de bem acolhido com a querência de terra revolta no ventre pegando fogo, lábios tremendo de rogo, o sexo de fora e o olhar de desmaio, os desejos todos num balaio com relevos da carne de peitinhos empinados e nenhuma rédea no juízo.

E nua e linda chegou com gosto de saudade.

De lembrança de coisas guardadas e sentidas.

Chegou e ficou resolvida a morar pro resto da vida dentro de mim.

VEJA MAIS:
CRÔNICA DE AMOR POR ELA